Aula 10 Eclipse e JSF 2.0 Vendas: Finalizando Junit Test Case 4



Neste vídeo finalizo a construção dos testes utilizando Junit, na próximas aulas começaremos a fazer a implementação utilizando TDD.
Endereço da aplicação no google.code: http://code.google.com/p/sistema-vendas-java/
Bibliotecas necessárias da aula: http://code.google.com/p/sistema-vendas-java/downloads
Twitter : @ronaldocaldas
Facebook: https://www.facebook.com/javaparainiciantes
Blog: javaelinux.wordpress.com

Aula 11 Java JSF – Redirecionamento construção e deploy da aplicação


Neste vído mostro como criar regras de navegação utilizando actions com JSF. Também mostro como distribuir a aplicação web para um servidor.

Aula 10 Java JSF – Validação


Neste vídeo mostro como fazer validação utilizando o JSF, usando a visão e focando o processamento no cliente. Também mostro como criar um arquivo de mensagems para customisação de saida de erros e warnings gerados pelo processo de validação.

O arquivo de propriedades pode ser visto abaixo do vídeo.


Leia mais deste post

Aula 6 Java JSF – Facelets


Neste vídeo mostro como usar o facelets para padronizar templates e reusar leiautes. Com facelets o programador pode criar templates de pagina e reusar padrões de telas e composição de componentes JSF.

Obrigado pessoal pelas visitas e por assistirem e comentarem nos vídeos.

Qualquer coisa deixo a  disposição meu twitter para dúvidas.

twitter: @ronaldocaldas

Abraço

Aula 4 Java JSF – Entrada de dados


Neste vídeo mostro como criar uma entrada de dado utilizando componentes do JSF como inputtext e utilização de envido de dados com commandbutton que enviar dados para o modelo na visão.

Semana que vem tem a 5º aula sobre navegação com JSF aguardem.

Aula 2 Ubuntu modo gráfico – Instalando a distribuição


Neste vídeo mostro a instalação do sistema operacional Ubuntu Linux 10.10. Mostro como preparar o HD para a instalação criando uma partição EXT4 para a raiz do sistema e uma partição SWAP para troca de memória.

Obrigado por assistirem meus vídeos e se inscreverem no canal.

Um pouco mais sobre Android


Mesmo para um desenvolvedor mobile experiente,  desenvolvedor desktop, web, ou completo iniciante, o Android é uma ótima nova oportunidade de escrever aplicações inovadoras para dispositivos moveis.
Fique tranquilo, apesar do nome, o Android não vai ajudar-lo a construir um exercito de robôs que limpará a humanidade da terra. Na verdade o Android é um software open-source (código livre), que inclui o sistema operacional, middleware, e aplicações moveis com biblioteca APIs para escrever aplicações que podem ser mudadas de forma , sentido, e funções.
Pequenos, estilosos e versáteis, os novos dispositivos móveis tem se tornado uma ferramenta poderosa que incorpora câmeras, tocadores de música, sistemas GPS e touchscreens. Com toda essa tecnologia incorporada os celulares se tornaram ferramentas que não só fazem chamadas telefônicas, mas completos dispositivos multimídia e de entretenimento.
Os telefones sempre priorizaram aplicações nativas escritas por terceiros. Isso adicionava uma barreira aos desenvolvedores para criação de aplicações melhores para os hardwares desses dispositivos. No Android, aplicações nativas e de terceiros são escritas com as mesmas APIs e executadas no mesmo RUN TIME. Essas APIs permitem acessos por sensor de toque, gravação de vídeo, serviços baseados em localização, suporte a serviços de background, atividades baseadas em mapas, bancos relacionais, comunicação entre aplicações, e gráficos 2D e 3D.
O Android tem poderosas APIs com excelente documentação, uma comunidades de desenvolvedores ativa, e sem custos de desenvolvimento e distribuição. Como telefones, tablets e dispositivos moveis estão em crescente aumento e popularidades, está é sem dúvida, uma excelente oportunidade de criar criativas aplicações móveis independente da experiência do desenvolvedor.
Antes dos Twitter, Facebook, Orkut, quando a Google ainda era uma empresa de garagem e os dinossauros ainda povoavam a terra, os telefones só funcionavam para fazer atender chamadas.
Com o tempo se tornaram ainda menores e ganharam em funcionalidades,  e hoje em dia são itens indispensáveis para todo mundo. O avanço dos hardwares se tornou um campo fértil para desenvolvimento, porém as aplicações disponíveis para essas plataformas se tornavam cada vez mais lentas.
O PASSADO

Historicamente os desenvolvedores que codificavam C ou C++ tinham a necessidade de conhecer e intender o hardware especifico do dispositivo para codificar, geralmente um ou alguns dispositivos para um único fabricante.
Recentemente, plataformas como Symbian tem sido criadas para um público mais amplo de desenvolvedores. Esses sistemas tem tido sucesso e encorajando novos desenvolvedores a criar aplicações mais agradáveis visualmente e com melhor performance para os hardwares atuais. Essa plataforma oferece acesso aos dispositivos de hardware, mas mesmo assim é necessária a criação de código complexo e fazer uso pesado de APIs proprietárias, fato que torna o trabalho mais difícil ao desenvolvedor. Infelizmente, essa conveniência vem atrelada com o preço e  o acesso restrito a dispositivos de hardware.
Essa dificuldade é aumentada para aplicações que devem trabalhar com diferentes implementações de hardwares e funções particulares como GPS. Mais recentemente ainda, o grande avanço de desenvolvimento de telefonia móvel foi a implementação dos Java hostec MIDlets. MIDlets são executadas em uma maquina virtual Java (JVM), um processo que abstrai as entrelinhas do hardware e deixa o desenvolvedor criar aplicações que rodem em diferentes  harwares que suportem o Java rum time.
No desenvolvimento móvel era considerado perfeitamente normal aplicações de terceiros receberem acesso diferente ao hardware e executar direitos daqueles dados para aplicações nativas escritas pelas fabricantes de telefones, com MIDlets raramente recebidos de outros.

O FUTURO


O Android é uma nova onda dos sistemas operacionais desenvolvidos para para dispositivos móveis, designados para ampliar o poder dos hardwares cada vez mais avançados. Windows Mobile, o iPhone da Apple, e o Palm Pre fornecem um rico simplificado ambiente de desenvolvimento para aplicações. Por outro lado, diferente do Android, eles são construídos como sistemas operacionais proprietários isso prioriza aplicações nativas criados por terceiros, comunicação restrita entre aplicações e dados nativos de telefonia, e controle ou restrição de distribuição de terceiros para essa plataforma.
O Android oferece novas possibilidades para aplicações moveis disponibilizando um ambiente de desenvolvimento construído sobre um Kernel em código livre do Linux. O acesso ao hardware é disponibilizado para todas as aplicações através de uma diversidade de APIs, e aplicações interativas,
No Android, todas as aplicações tem mesmo peso, de terceiros ou nativas elas são escritas com as mesmas APIs e executadas no mesmo run time. Os usuários podem remover ou trocar qualquer aplicação nativa por uma alternativa, papeis de parede e até mesmo o discador pode ser mudado.

APLICAÇÕES NATIVAS DO ANDROID
Os telefones com Android, vem de fabrica com uma suite de aplicações pré-instaladas que fazem parte do Open Source Project (AOSP), incluindo:

  • Um cliente de e-mail
  • Aplicações de envio de torpedos SMS
  • Uma suite PIM (personal information management) completa, que inclui uma agenda de contatos e calendário.
  • Um Navegador web (WebKit-based)
  • Um player de musica e galeria de fotos
  • Aplicação de câmera e gravação de video
  • Uma calculadora
  • Tela Home inicial
  • Alarme

Em alguns casos os dispositivos também vem com aplicações proprietárias dos telefones da Google que incluêm:

  • Cliente Android Market para compras de aplicações
  • Google maps incluindo Street View, GPS, navegação turno a turno, visão de satélite e condições de trafego.
  • Cliente de email Gmail
  • Google Talk
  • Player para vídeos do YouTube

Por ser open-source muitas empresas tem customizado a interface do Android, e aplicações vindas com os dispositivos. Isso inclui a HTC com a interface Sense, a Motorola com o MotoBlur e a interface customizada dos celulares da Sony Ericsson com Xperia.

PORQUE DESENVOLVER PARA ANDROID
Android representa uma nova opção de desenvolvimento , um framework móvel baseado na realidade dos diversos aparelhos designados por desenvolvedores, para desenvolvedores.
Com uma SDK completa e simples, sem restrição de licenças, excelente documentação, e comunidade de desenvolvedores ativa, O Android representa uma excelente excelente oportunidade para criar software e mudar o como as pessoas usam seus telefones.


Então é isso galera espero que tenham gostado do post e esperem que terá mais sobre o mesmo assunto, vejo que esse tema é bem atual e rico em novas oportunidades para nos programadores e concerteza quem dominar essa tecnologia vai ter grande sucesso como desenvolvedor.

%d blogueiros gostam disto: